Quinta-feira, 18 de Agosto de 2005

- Portugueses à conquista de Olivença




 Portugueses
à conquista de Olivença



Independentes querem ponto final na questão da soberania.

Concorrem mesmo "à margem da lei"




Graça Henriques



As eleições autárquicas deverão contar com uma candidatura, no mínimo, insólita. Um movimento cívico independente prepara-se para concorrer à câmara de... Olivença. E mesmo que a candidatura não seja reconhecida, os seus mentores garantem que a levarão até ao fim. Com campanha e tudo, nem que seja "à margem da lei".



O que começou por ser uma ideia de 32 independentes já conta com a adesão de vários organizações que apoiam a causa: Amigos de Olivença, Real Associação, Comissão para Olivença Portuguesa, Lusitânia União Social e Sociedade Histórica para a Independência de Portugal. E ainda falta formalizar mais dois: o Movimento Olivença Livre e Grupo Olivença Net. O primeiro encontro está agendado, em Lisboa, altura em que serão definidas estratégias e também o cabeça de lista àquela câmara.



Constantino Menino, um dos activistas deste movimento sui generis, disse ao DN que já contactou os partidos com assento parlamentar. Mas as respostas obtidas não foram satisfatórias. "Disseram-nos que não é uma questão prioritária. Não estão interessados em candidatar-se, nem em apoiar uma candidatura". Este mentor da polémica iniciativa garante que não há aqui qualquer exaltação nacionalista nem ódio aos espanhóis. E sublinha que estão envolvidas pessoas de todos os quadrantes políticos. "Queremos que os políticos reconheçam publicamente o assunto como um problema a ser resolvido. Não basta dizer que Olivença é território português, é preciso assumi-lo", refere, acrescentado que Espanha também não se assume verdadeiramente como país ocupante. No seu entender, "há um grande cinismo político" em relação a este assunto, que tem por base "interesses económicos". De facto, Portugal não reconhece a soberania espanhola sobre esta praça do Alto Alentejo, mas também não alimenta a polémica.



Em 1801, sob ameaça dos exércitos franco-espanhóis, Portugal foi envolvido no Tratado de Badajoz que entregava Olivença a Espanha. Só que a praça voltaria à soberania portuguesa, fruto da violação da paz por parte de Espanha e de outros acordos internacionais..




Jornal de Olivença editou às 17:58

link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Anónimo a 21 de Agosto de 2005 às 18:14
é necessário mais homens destes um abraço ao sr. Constantino Menino e dizer-lhe que tem todo o meu apoio viva Portugalantonio tavares de mello
</a>
(mailto:amello@sapo.pt)
De João Peralta a 30 de Novembro de 2007 às 12:31
O Caso de Olivença tem de ser tratado por homens de coragem e não com atitudes de pelica, são atitudes como as que o Sr. Constantino Menino tem tido que se deve ver a situação e não com serimonias no terreiro do paço.
Cumprimentos para esse grande homem
De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2009 às 14:44
Concordo Peralta, temos de protestar em Olivença
De António Carlos Araujo a 3 de Fevereiro de 2009 às 14:35
Já ouvi falar deste homem nos anos 90 em defeza de Timor quando ninguem acreditava nesta causa e ele conseguio mobilizar e chamar a atenção de milhares para esta ilha.
Tenho grande admiração por ele
De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2009 às 14:38
Frontal, sem medo vai ao serne da questão e põe o dedo na ferida.
Então aonde é que estão as autoridades Portuguesas na defesa de Olivença?
O Constantino tem razão vamos a eles

Comentar post